Programação Cultural III MOSTRA DE SAÚDE E CULTURA DE MÃE LUIZA

Como já foi informado aqui, durante a tarde do dia 10 de abril acontecerá a III Mostra de Saúde e Cultura de Mãe Luíza o evento será no Ginásio Arena do Morro, confira a programação cultural:

14h-14h30 – Abertura

14h-14h20 – Abertura e motivação (Juciano e Louis – Locutor Rádio Jovem Pam FM)

14h20 – Hip Hop da Casa do Bem – 15min

14h45 – Apresentação de Música e Dança – Banda Glee (Jovens Multiplicadores: Roberta  e Edson) – 5min

15h00 – Grupo de Dança de Idosos – Parte 1 – 5 mim

15h10 – Apresentação de Dança – (Jovens Multiplicadores: Maria Lúcia, Jaqueline, Roberta e Alícia) – 5min

15h20 – Grupo de Dança de Idosos – Parte 1 – 5 mim

15h30 – Apresentação Musical Pop – (Jovens Multiplicadores: Roberta e Alícia) – 10min

15h45 - Banda Fex Crew (hip hop) – 10min

16h10 – Grupo de Capoeira – 10min

16h30 – Peça Teatral “Dias difíceis” – 25min

Grupo de Teatro “Somos tão jovens”

Formado pelos adolescentes e jovens multiplicadores do Projeto Viva Mãe Luiza

17h – Encerramento.

Venham participar assistir o que o bairro de Mãe Luíza tem de melhor. Venham viver Mãe Luíza.

Viva Mãe Luiza participa de Seminário de Integração Interprojetos do Nesc

O projeto Viva Mãe Luíza participará do Seminário InterProjetos, evento de integração de projetos do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva –NESC/UFRN que trabalham com a temática de DST, Aids e Hepatites Virais. O Seminário ocorrerá nesta quarta(19),no HotelImirá Plaza.

Iniciando a programação, às 8h30 haverá a roda de debate“Interface Universidade- Sociedade: conhecendo a atuação de projetos de apoio à produção cuidado às DST, AIDS e Hepatites Virais” com apresentações das ações desenvolvidas pelos projetos da área.

Na apresentação do projeto Viva Mãe Luiza,as multiplicadoras Ilana Vasco, Roberta Rhossamy e Pyetra Silva irão compartilhar sua experiência na participação e construção do projeto dentro do bairro, que através delas e de demais multiplicadores disseminam conhecimento com seus pares sobre cuidados com a saúde e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Além dos coordenadores e bolsistas do projeto, outros multiplicadores também participarão do evento. Estarão presentes ainda parceiros da Unidade Básica de Saúde Aparecida, Casa Crescer e Centro Sócio Pastoral.

No turno da tarde, a partir das 14h30, haverá a palestra “Desafios conceituais e metodológicos para desenvolver práticas avaliativas participativas” com a exposição do professor Eduardo Passos (UFF-Niterói/RJ), seguida de debate.

A oficina do projeto Viva Mãe Luiza, que acontece nas tardes das quartas-feiras, ocorrerá normalmente.

Levantamento mostra que um em cada cinco adolescentes interrompe tratamento da aids

Um levantamento feito pelo Instituto de Infectologia Emílio Ribas, referência no tratamento de HIV/aids, mostrou que um em cada cinco dos adolescentes com aids acompanhados pelo hospital abandonou o tratamento no ano passado. Foram avaliados 581 adolescentes, de 12 a 17 anos, dos quais 131 estão há pelo menos seis meses sem ir ao médico ou sem voltar ao consultório para nova avaliação. Dos jovens avaliados, 71 são do sexo masculino e 60, do feminino. A maioria foi infectada pela mãe durante o parto (transmissão vertical).

De acordo com o infectologista Jean Gorinchteyn, do Emílio Ribas, durante o período de observação, os jovens em tratamento deveriam ter comparecido a pelo menos duas consultas, nas quais sua saúde seria avaliada e o receituário fornecido, para que os medicamentos fossem retirados gratuitamente na própria farmácia do instituto.

“As avaliações clínicas devem ser feitas a cada três meses. Se ele não vem para a consulta, não recebe a receita e não retira o remédio> Portanto, está interrompendo o tratamento. Normalmente, são administradas de três a cinco drogas antirretrovirais, algumas combinadas, mas este número pode ser reduzido a um comprimido só, favorecendo muito a adesão”, explicou o médico.

Gorinchteyn ressaltou que, uma vez iniciado o tratamento, ele jamais pode ser interrompido, e os horários têm de ser seguidos com rigor. Segundo ele, a interrupção do tratamento pode tornar o vírus resistente à medicação, ou seja, “o vírus deixa de ser sensível ao remédio e o organismo não responde ao tratamento”.

O infectologista informou que o Emílio Ribas tem uma estratégia para buscar os pacientes, caso deixem de comparecer aos retornos médicos. A convocação é sempre direta, por telefone ou por telegrama. É preciso avaliar que, apesar de serem menores de idade, que teoricamente teriam um adulto responsável por eles, a maioria desses adolescentes contraiu o HIV por transmissão vertical, na gestação da mãe contaminada.

“Isso quer dizer que muitas das mães estão doentes, ou já não estão mais vivas para cuidar dessas crianças. São jovens que podem estar sob cuidados de tutores ou responsáveis que, eventualmente, desconhecem o não comparecimento deles ao ambulatório. Muitas vezes, quando esses responsáveis foram questionados disseram acreditar que as crianças iam às consultas.”

Para Gorinchteyn, a interrupção do tratamento pode ocorrer pelo fato de jovens dessa faixa etária terem dificuldade para encarar uma doença que precisa de acompanhamento constante e que já é tratada desde o nascimento. “Eles também recebem uma carga de preconceito, por estarem contaminados, mas sem ter a real culpa por isso. Assim, cria-se a dificuldade de aceitação da doença e das dificuldades de inserção social”, ressaltou o médico.

Assim, os jovens acabam abandonando o tratamento, como se isso pudesse negar a existência da aids, lamentou o médico. No entanto, disse ele, identificar esse tipo de abandono do jovem pelo cuidador não quer dizer exatamente que tenha havido negligência, mas que existe dificuldade do jovem com relação à doença e à necessidade de um tratamento regular, com regras e restrições, o que pode ser difícil para uma pessoa dessa faixa etária. Gorinchteyn destacou que nenhuma consulta é feita sem a presença de um maior de idade.

“O que queremos saber agora é quanto dessa não adesão deve-se à falta de responsabilidade do tutor e quanto se deve à falta de disponibilidade do próprio paciente. Temos de ter essa parceria muito mais clara com o responsável, que não pode se submeter ao desejo do paciente, que, muitas vezes, encontra desculpas para não comparecer às consultas”, acrescentou o médico. Para ele, é preciso “afinar o comportamento do cuidador” quanto a essa pressão do paciente.

De acordo com o infectologista destacou que é preciso acolher psicologicamente essas crianças e adolescentes e não se deixar levar pelas desculpas da criança e levar em conta que sendo tutor é preciso assumir a responsabilidade do tratamento do menor de idade. Gorinchteyn chamou a atenção ainda para o fato de que uma vez que o jovem não tem a preocupação em fazer o tratamento corretamente nada garante que ele vá ter relações sexuais com proteção, podendo então transmitir o vírus.

Por: Agência Brasil, em 18/07/2013

Dia dos namorados é comemorado com Ação de Saúde para jovens de Mãe Luiza

A Ação de Saúde em comemoração ao “Dia dos Namorados” para jovens e adolescentes do bairro de Mãe Luíza aconteceu na última terça-feira, dia 18 de junho, e foi organizada pela Unidade de Saúde da Família de Aparecida em parceria com o Projeto Viva Mãe Luiza.

jovens são atendidas em Ação de SaúdeA ação teve a finalidade de levar o jovem/adolescente à unidade de saúde, demonstrar a importância do cuidar de se promover uma cultura de prevenção das DST/Aids.

Durante o dia, vários jovens e adolescentes buscaram a unidade, onde tiveram acesso aos serviços de saúde oferecidos, como preventivo, o teste de HIV “fique sabendo”, aplicação de flúor, agendamento de consultas, avaliação do IMC (índice de massa corporal), emissão do cartão do SUS, distribuição de preservativos, folders e materiais educativos.

Apresentação da peça "Uma história de escolhas"

Apresentação da peça “Uma história de escolhas”

Pela manhã houve um momento cultural em que os jovens multiplicadores do Projeto Viva Mãe Luiza apresentaram a peça “Uma história de escolhas”, que tem direção cênica de Gisele Carvalho. A peça fala sobre a importância da prevenção, o uso do preservativo na relação sexual para evitar DST/Aids e da necessidade de procurar o serviço de saúde em caso de apresentar algum sintoma.

Nos dois turnos, profissionais e estudantes de saúde, realizaram rodas de conversas com os jovens e adolescentes sobre sexualidade, prevenção das DST/Aids e gravidez indesejada.

Também foi realizada nos dois turnos, a oficina “Árvore do prazer”, promovida pelo projeto e coordenada p or Leila Maranhão, em que foi trabalhado o tema “Vulnerabilidade e Riscos”, procurando relacionar o risco, o prazer e a prevenção. Esta oficina atingiu diferentes jovens do bairro numa dinâmica descontraída.

De acordo com a enfermeira Cristina apesar da unidade não ter ficado superlotada nos dois turnos a ação foi considerada positiva, pois os jovens e adolescentes normalmente não costumam procurar a unidade de saúde para orientações e prevenção de doenças. O encontro jovem/adolescente e unidade de saúde normalmente ocorre quando eles já estão doentes, por isso a importância de eventos com essa proposta.

Confira algumas fotos da Ação:

Programação Ação de Saúde – Dia dos Namorados

Conforme já foi noticiado aqui, o Projeto Viva Mãe Luíza e a Unidade de Saúde da Família de Aparecida, realizarão ação de saúde voltada para jovens e adolescentes do bairro de Mãe Luíza, em comemoração ao Dia dos Namorados, a ação ocorrerá durante o dia 18 de junho, a partir das 8 h da manhã, na própria Unidade de Saúde localizada na Rua Guanabara, 195 Mãe Luíza Natal/RN.

Após uma reunião com os profissionais da Unidade e a coordenação do Projeto Viva Mãe Luíza foi definida a toda a programação da ação, que segue:

Inicialmente haverá uma triagem no acolhimento dos jovens; estarão disponíveis serviços como Aplicação de flúor, Avaliação de IMC, Planejamento familiar, Preventivo, Teste rápido para HIV, Vacina, realização de Agendamento de consultas médica, enfermagem, nutrição e psicologia, neste dia também estará sendo feito o Cartão do SUS e será entregue aos jovens a Caderneta do adolescente.

Haverá distribuição de preservativos e folders educativos para prevenção das DST/Aids. 

Ás 10 h da manhã, os jovens do projeto Viva Mãe Luiza apresentarão a peça teatral “Uma história de escolhas” com a direção cênica de Gisele Carvalho.

A socióloga Leila Maranhão coordenará a Oficina da Árvore do Prazer em dois momentos, primeiramente às 9 h da manhã e a outra às 14 h da tarde.

O encerramento ocorrerá a partir das 15 h que numa confraternização com todos ao som de muito forró na Unidade de Saúde.

Segue a baixo o link do evento da Ação de Saúde em comemoração ao Dia dos Namorados no face book:

https://www.facebook.com/events/658209324196631/?ref=22

Confirme sua participação e chame seus amigos para esta ação que foi feita especialmente para você, jovens e adolescente moradores do bairro de Mãe Luíza.

Projeto Viva Mãe Luiza realiza ação de multiplicação na Escola Dinarte Mariz

Estudantes da Escola estadual Dinarte Mariz assistem apresentação teatral

Estudantes da Escola estadual Dinarte Mariz assistem apresentação teatral

Hoje, pela manhã na Escola Estadual Dinarte Mariz ocorreu mais uma ação do Projeto Viva Mãe Luiza. Na ocasião foi apresentada, para os estudantes da escola, a peça teatral “Uma história de escolhas”, que foi desenvolvida e aprimorada pelos participantes do projeto durante as oficinas de teatro e teve a direção cênica de Gisele Carvalho.

A peça narra à história de Marina, uma garota que se ilude com a boa aparência e a boa conversa de Marcelo, os dois saem e não se previnem durante a relação sexual e num futuro próximo acaba sendo surpreendida com uma preocupante notícia. Marina é diagnosticada com o vírus HIV. A história é fictícia, mas em muito se assemelha com a realidade, muitas vezes por impulso e excitação as pessoas não pensam em se prevenir e acabam esquecendo-se de usar o preservativo.

Na ação desta manhã feita para estudantes do ensino fundamental houve também a apresentação musical dos multiplicadores, Roberta e Flávio, voz e violão, respectivamente.

Depois foi realizada uma competição e os estudantes foram divididos em duas equipes, equipe vermelha e equipe azul, em que passaram por provas de agilidade e criação, cada equipe criou o seu grito de guerra e escolheram um jovem para representar a equipe numa improviso de rimas sobre o tema prevenção as DST/Aids, no final, ambas as equipes ganharam por cumprirem as provas corretamente.

Durante a multiplicação, foram distribuídos preservativos e folders educativos sobre as DST’s, Aids e Hepatites Virais, além de trazer informações sobre o projeto Viva Mãe Luiza.

Para o sucesso dessa multiplicação o Projeto contou com o importante apoio da direção da Escola Estadual Dinarte Mariz e da Casa do Bem que disponibiliza o espaço para os encontros semanais do Projeto Viva Mãe Luiza, dentre outros parceiros da comunidade.

Confiram algumas fotos:

Viva Mãe Luiza recebe visita da UNESCO e Ministério da Saúde

Quinta-feira, dia 11/04, foi um dia de visitas para o Projeto Viva Mãe Luiza. O representante do Ministério da Saúde, Ivo Brito, e da UNESCO, Mariana Braga, vieram conferir de perto as atividades do Projeto. O encontro ocorreu na Escola Estadual Dinarte Mariz e contou com a participação de vários parceiros locais, da Unidade Básica de Aparecida, da Casa Crescer, além dos jovens e adolescentes multiplicadores do projeto.

A professora Susana Dantas, coordenadora do projeto, falou do objetivo da reunião e deu inicio a uma breve rodada de apresentação das pessoas presentes. Na sequencia a professora Michele Soltosky fez uma exposição das atividades que vem sendo desenvolvidas pelo “Projeto Viva Mãe Luiza”, ressaltando que desde 2011 o Projeto vem fortalecendo as ações de prevenção as DTS/aids na comunidade. Foram lembradas importantes ações realizadas, como por exemplo, a I e II Mostra de Saúde e Cultura, ressaltando a importância desses grandes eventos, que com o apoio dos parceiros contribuíram para construção da identidade do projeto no bairro. Falou ainda sobre os objetivos e a metodologia aplicada, onde o tema é inserido no cotidiano da comunidade através da capacitação dos jovens para serem multiplicadores e dessa forma conscientizar os demais jovens moradores do bairro que existem formas e necessidade de prevenção das DST/aids.

Foram convidados para esse dia os ganhadores do concurso de fotografia e vídeo promovido pelo Projeto durante a II Mostra de Saúde e Cultura, Michael e Hayele. A premiação foi viabilizada através da parceria com a UNESCO que concedeu dois tablets como prêmio, um para cada categoria. Os vencedores falaram um pouco do que foi feito com os prêmios alguns meses depois da entrega. Na oportunidade, Michael e seu parceiro, ganhadores do concurso categoria vídeo, cantaram o RAP da prevenção, além de nos mostrar alguns passinhos de break.

Para finalizar, os adolescentes/jovens multiplicadores do projeto mostraram como estão os ensaios da peça “Uma História de Escolhas”, que será apresentada em breve, como ação de multiplicação, com a finalidade educativa de trabalhar o tema da prevenção das DST/aids com os alunos da Escola Estadual Dinarte Mariz.

Confira abaixo as fotos e reportagem em vídeo da visita:

Projeto Viva Mãe Luiza receberá visita da UNESCO

Está marcada para o próximo dia 11, a visita da UNESCO ao Projeto Viva Mãe Luiza, entidade que já atua em parceira com o Projeto. No ano passado, a Unesco concedeu dois tablets, os quais foram os prêmios do concurso de vídeo e fotografia promovido pelo Projeto para moradores do bairro, durante a II Mostra de Saúde e Cultura.

Devido a visita do representante da UNESCO, a oficina de teatro que vem ocorrendo todas as quarta-feiras, às 14h na Casa do Bem, especialmente essa semana foi transferida para a quinta-feira (11), às 14h na Escola Dinarte Mariz.  No próximo dia 18 de abril o Projeto Viva Mãe Luiza realizará uma ação com os jovens multiplicadores na Escola Dinarte Mariz, às 9h. A ação será uma apresentação do grupo de teatro, com finalidade educativa, sobre a prevenção das DST/Aids para os estudantes da escola.

Viva Mãe Luiza oferece oficinas de teatro à comunidade

DSC01897

Alunos participam de oficina de teatro (Foto: Cinthia Rocha)

Dando continuidade às atividades do projeto Viva Mãe Luiza, que visa capacitar jovens e adolescentes a trabalharem junto à comunidade a temática da prevenção das DST/Aids, estão sendo oferecidas, desde o mês de fevereiro, oficinas de teatro aos participantes do projeto.

Ministrada por Gisele Carvalho, atriz e mestranda em Artes Cênicas pela UFRN, as oficinas têm como objetivo aprimorar peça “Uma História de Escolhas”, produzida e apresentada pelos participantes do projeto na II Mostra de Saúde e Cultura de Mãe Luiza.

A peça é ambientada no próprio bairro e narra a história de Marina, adolescente que, por não ter se prevenido, contrai o vírus HIV na primeira relação sexual. Os ensaios acontecem todas as quartas, a partir das 14h, na Casa do Bem, e a expectativa é que os adolescentes e jovens realizem outra apresentação ainda este mês na escola Dinarte Mariz.

Confira algumas fotos das oficinas de teatro:

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.